Dirofilariose

Dirofilariose

Uma das principais doenças transmitidas pela picada de mosquitos a ter em atenção nos nossos animais de estimação é a dirofilariose.

A dirofilariose é uma doença grave e potencialmente fatal, também conhecida como o “parasita do coração”.

A doença é provocada por um parasita chamado Dirofilaria immitis, que é transmitido pela picada de mosquitos da espécie Culex. Tem uma distribuição mundial mas existem zonas de risco onde a doença é particularmente prevalente - regiões litorais e de clima quente e temperado.

A infeção dos nossos animais depende do nível de atividade dos mosquitos, e com o aumento das temperaturas surge também um maior risco de doença.

Os cães são infetados pela picada de mosquitos que contêm e injetam formas imaturas do parasita (as microfilária) na pele. Estas formas larvares migram pelos tecidos e órgãos dos nossos animais, e as formas adultas vão alojar-se no coração, onde causam lesões graves.

Esta doença é uma zoonose – significa que pessoas também podem ser infetadas com o parasita, através da picada do mosquito! Por isso é necessário controlar estes agentes, através da proteção dos nossos animais de estimação – ao proteger o seu animal, reduz a possibilidade dos mosquitos se infetarem com os parasitas e a disseminação da doença.

A doença é de progressão lenta (necessitando cerca de 6 meses até que se complete o ciclo de vida dos parasitas e libertação das formas imaturas), pelo que de inicialmente os sinais clínicos são escassos. Com a evolução da doença, os animais infetados apresentam tosse, dificuldade respiratória, perda de peso, intolerância ao exercício e insuficiência cardíaca, hepática e renal.

O diagnóstico de dirofilariose pode ser realizado com base na história clínica e evolução dos sintomas, juntamente com alguns exames laboratoriais. Contudo, é possível que a doença não seja diagnosticada antes de completado o ciclo de vida dos parasitas. Por isso, é aconselhada uma prevenção atempada!

Existe tratamento para a dirofilariose, mas não é livre de riscos. É necessário eliminar as formas adultas e imaturas, o que torna o tratamento complicado.

A melhor atitude a adoptar é a de prevenção! Existem diversos produtos, seguros e eficazes, que podem evitar a doença e as complicações do tratamento.